Situação econômica do Brasil preocupa deputado José Humberto

O deputado José Humberto Soares (PSD-MG) acompanhou a exposição do ministro e alertou que, apesar do otimismo apresentado, “não existe mágica na economia”. Para ele, é preciso melhorar vários aspectos

05/05/2014 - 23h59

Situação econômica do Brasil preocupa deputado José Humberto

A Câmara Federal realizou, no dia 29 de abril, o seminário Brasil Novo. O objetivo do evento foi debater o atual cenário da economia brasileira, as projeções para os próximos anos e quais medidas devem ser tomadas para impulsionar o crescimento do país. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, participou da mesa de abertura e disse que o Governo está trabalhando para “criar condições para que a inflação seja a menor possível”.
Embora tenha reconhecido aumento nos preços, Mantega afirmou que o Governo está confiante e projeta um crescimento de 2,3% do Produto Interno Bruto neste ano, 3% em 2015 e 4% em 2016 e 2017. O deputado José Humberto Soares (PSD-MG) acompanhou a exposição do ministro e alertou que, apesar do otimismo apresentado, “não existe mágica na economia”. Para ele, é preciso melhorar vários aspectos para que o Brasil tenha um crescimento sustentável.  
“Precisamos, urgentemente, de produtividade. Há que ser sustentabilidade no crescimento, o que só é possível quando temos investimentos maciços em infraestrutura, energia, portos, rodovias e educação. Precisamos preparar o Estado, para que ele seja eficiente na condução desses mecanismos”, disse José Humberto, acrescentando: “Preocupa-nos o futuro, porque nossos índices de produtividade são baixos e, assim, não somos competitivos a nível mundial”.
O parlamentar também cobrou celeridade nas concessões. “Atrasamos os investimentos porque se atrasou o cronograma de concessões. Nós precisamos acelerar esse processo, para garantir estradas boas, condições de armazenamento para os grãos que produzimos, portos, aeroportos, energia, telecomunicações e, ao mesmo tempo, preparar as pessoas para ter produtividade dentro dessa equação. O salário é proporcional a esse preparo.”
Ainda conforme José Humberto, é preciso deixar as ideologias partidárias de lado. “Essa preocupação não pode estar permeada pela visão do partido A ou B. Ela deve existir independentemente de quem seja o novo presidente da República, porque a minha geração já viu o que é um período de estagnação e inflação, e nós não queremos isso para as gerações futuras”, finalizou o deputado.
 
Fonte: Carolina Filardi Tafuri